vacine-se


O perigo é real








Nestes primeiros dias do ano de 2017 já foram confirmados 20 casos de Febre Amarela no Estado de Minas Gerais e ocorreram 10 prováveis mortes. Existem ainda 90 casos em investigação e mais 10 mortes aguardam a análise dos órgãos de saúde.

 

O governo estadual decretou nesta semana Situação de Emergência em Saúde Pública na região do Vale do Rio Doce e Mucuri devido a casos confirmados de febre hemorrágica em moradores da zona rural dos municípios de Caratinga, Entre Folhas, Frei Gaspar, Ladainha, Malacacheta, Imbé de Minas, Inhapim,  Ipanema,  Piedade de Caratinga e Ubaporanga. A maioria dos casos é de febre amarela silvestre e ocorreu em municípios que também tiveram registro de mortes de macacos, a chamada epzotíase.

 

Na região do Triangulo Mineiro há morte de macacos registrada no município de Sacramento, mas não há casos da doença registrado em humanos.

 

Mais um bom motivo para combater o Aedes Aegypti

Na área rural ou silvestre, a transmissão se dá quando uma pessoa que não esteja imunizada contra a febre amarela é picada pelo mosquito infectado, o Hamemagogus e o Sabethes. Ao contrair a doença e circulando em meio urbano, a pessoa pode se tornar uma fonte de infecção para o Aedes Aegypti – o mesmo que transmite a Dengue, Zika e Chikungunya.

Desde 1942 não há registros de Febre Amarela Urbana no país, mas o risco existe e é real.

 

Os sintomas.

A Febre Amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitidas por mosquitos, tanto em áreas urbanas quanto silvestres.Os sintomas acontecem após 3 a 5 dias depois que a pessoa é infectada e pode ocorrer febre alta, dores de cabeça e diarreia, além da pele amarelada, característica da doença.Ao perceber os sintomas, procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima de você para buscar tratamento e orientações.

Vacinação:

A vacina está disponível em todas as salas de vacinas da rede pública municipal. O atual esquema vacinal é composto por uma dose aos 9 meses de idade e um reforço aos 4 anos.

Para as pessoas que nunca foram vacinadas ou não possuem comprovante de vacinação será necessário administrar uma dose inicial e o reforço após 10 anos. Aqueles que já receberam 2 doses da vacina estão completamente imunizados e não necessitam mais tomar reforço.Pessoas com 60 anos ou mais precisam passar por avaliação médica para receber a vacina e apresentar a prescrição no momento da vacinação.

 

Todos devem manter o cartão de vacinas atualizado e levar o cartão ao procurar a sala de vacinas.

 

Atenção!

Ao perceber os primeiros sintomas, procure imediatamente uma unidade de saúde.

Se encontrar casos de epizotíase – morte de macacos, não mecha no animal, nem descarte o cadáver. Procure imediatamente o serviço de Vigilância em Saúde para que as providências sejam tomadas.

 

Ajude no combate ao Aedes Aegypti! O mosquito transmissor da Dengue, Zika, Chikungunya e também pode transmitir a Febre Amarela urbana.

 

Onde procurar informações?

Departamento Municipal de Vigilância em Saúde

Rua Julio Cassiano Campos, nº 604 – Centro – Conceição das Alagoas

Fones: (34)3321-1877 / (34)99686-6734 / (34) 9691-0225

 

 

Responsável pelas informações:

Márcia Bessa de Oliveira Martins

Departamento Municipal de Vigilância em Saúde

 










Rua Floriano Peixoto, 395 - Centro | CEP 38120 000 Tel. [34] 3321-0000 | CNPJ 18.428.854/0001-39